Perguntas Frequentes - StemCorp
Quero Contratar! Quero Contratar!

Perguntas
Frequentes

Esclareça suas dúvidas sobre armazenamento de células-tronco do cordão umbilical Por Mayana Zatz*

Quais tipos de células-tronco existem no cordão umbilical do bebê?

Existem células-tronco no sangue e no tecido do cordão umbilical. As células-tronco que encontramos no sangue do cordão umbilical são as chamadas células-tronco hematopoéticas e as encontradas no tecido do cordão umbilical são as células-tronco mesenquimais.

Mas qual tipo de células-tronco do cordão guardar?

Na maioria dos casos a StemCorp indica o armazenamento somente das células-tronco mesenquimais. As limitações da aplicação células-tronco encontradas no sangue e do uso autólogo fazem seu armazenamento para uso próprio ser recomendado somente em alguns casos, por médicos. As células-tronco hematopoiéticas (do sangue) tem algumas características que fazem a possibilidade de uso ser limitada. A dificuldade de expansão das células-tronco hematopoiéticas em laboratório restringe sua aplicação em muitos casos, como o volume de sangue é limitado o uso se dá para indivíduos de no máximo 50 kg. Além disso, as células-tronco hematopoiéticas são utilizadas primariamente para o tratamento de doenças do sangue, que são muito raras (atingem 1 em cada 20.000 pessoas). Vale ainda lembrar que, grande parte das doenças do sangue são genéticas e, por isso, caso o indivíduo desenvolva uma doença desse tipo não é recomendável o uso de suas próprias células-tronco hematopoéticas para tratamento porque todas as células teriam o mesmo “defeito no DNA”. As mesenquimais por sua vez podem ser aplicadas em situações mais corriqueiras, como uma queimadura por exemplo. Veja aqui as aplicações.

Porque o parto é um momento único para armazenamento de células-tronco?

O parto é um momento muito especial para o armazenamento de células-tronco. Isso porque, as células-tronco do cordão umbilical são as células mais jovens que podemos guardar. E quanto mais jovem maior o potencial regenerativo. Ou seja, guardar as células-tronco do cordão é guardar o melhor tipo de célula-tronco para seu filho. Além disso, no parto mãe e filho podem ter suas células-tronco mesenquimais armazenadas simultaneamente, por um processo simples e indolor. No caso do bebê, as células-tronco mesenquimais são obtidas do tecido do cordão umbilical e, no caso da mãe, essas mesmas células são coletadas a partir de uma pequena amostra de gordura excedente e disponível durante a cesárea.

Se eu não guardar as células-tronco mesenquimais do meu filho perdi a chance para sempre?

Não. Essas células podem ser encontradas em outros tecidos adultos como dente e tecido adiposo. Mas vale lembrar que estas células-tronco não tem o mesmo potencial das do cordão umbilical.

Mas se são encontradas em outros tecidos porque preciso guardar as do cordão? Posso simplesmente pegar depois se precisar. Certo? Errado!

Mas, lembre-se: à medida em que o tempo passa, as células-tronco, como o resto de nosso corpo, envelhecem e a quantidade de células-tronco decaem. No indivíduo adulto, as células-tronco têm menor poder proliferativo e de diferenciação. Além disso, quanto mais jovens as células, menor será sua exposição a fatores ambientais, tóxicos, carcinogênicos, poluentes e infecciosos. O parto é a melhor oportunidade para colher células-tronco. Garantia de armazenar células-tronco mais jovens e em maior quantidade, em baixíssima exposição a fatores “tóxicos” do meio ambiente.

Posso usar as minhas próprias células-tronco mesenquimais ou as células do meu filho em outras pessoas?

Qualquer membro direto da família também poderá usar as células-tronco armazenadas de seu bebê para um transplante, desde que haja compatibilidade. Irmãos de mesmo pai e mesma mãe apresentam uma probabilidade de 25% de serem compatíveis. Outros membros da família apresentam uma probabilidade de compatibilidade bem menor, quase igual a de um doador não aparentado.

Por quanto tempo posso armazenar?

As células-tronco, armazenadas em condições adequadas, podem ser mantidas por tempo indeterminado. As células mais antigas congeladas datam de mais de 20 anos e, quando descongeladas, conservam suficientemente suas características funcionais e de viabilidade, permitindo aplicações clínicas.

Porque devo armazenar células-tronco mesenquimais?

Porque ter suas células-tronco armazenadas pode fazer muita diferença no tipo de tratamento que irá receber no futuro! Hoje o uso de células-tronco na medicina regenerativa é realidade, já existem diversas terapias utilizando células-tronco mesenquimais e mais inúmeras indicações e testes clínicos em andamento. Isto demonstra o potencial das células-tronco mesenquimais para o tratamento de uma lista enorme de doenças. De acordo com o site clinicaltrials.gov, estão em andamento mais de 900 testes clínicos em seres humanos com células-tronco mesenquimais. Dentre algumas doenças que poderão ser tratadas, destacam-se: lesões de cartilagem, lesões ósseas, doenças pulmonares, doenças cardíacas, diabetes, dentre outras.

Não é apenas uma aposta para o futuro?

Não! Diversos tratamentos já estão liberados: queimaduras, doenças inflamatórias intestinais, doença do Enxerto Contra Hospedeiro, lesões de pele aplicações estéticas para rejuvenescimento e preenchimento e muitas outras. No Brasil já existem inúmeros testes clínicos em andamento com células-tronco mesenquimais e a legislação está mudando a fim de facilitar a aprovação das terapias. Dentre eles destacam-se: enfisema pulmonar, reconstrução de lábio leporino e fendas palatinas, lesão medular, osteoartrite, diabetes, degeneração de retina, lipodistrofia, doenças cardíacas, úlceras venosas, calvície, incontinência urinária e reconstrução mamária. Ou seja, não é apenas uma aposta para o futuro, já é realidade.


lab